Você vê primeiro aqui

Segunda-feira, 27 de Maio de 2024
Bem Estar
Bem Estar

Entretenimento & Curiosidades

Chuva de meteoros é registrada pelo Observatório no Brasil

O fenômeno conhecido como Pi Pupídeos atingirá seu ápice em 15 de abril.

Quentuchas Notícias
Por Quentuchas Notícias
Chuva de meteoros é registrada pelo Observatório no Brasil
Imagem de sobreposição de meteoros registrados entre 29 de março e 11 de abril Foto: Observatório Espacial Heller & Jung/Reprodução
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Em abril deste ano, será possível observar duas chuvas de meteoros: os Pi Pupídeos e os Eta Aquáridas, esta última sendo uma das maiores do ano. A chuva conhecida como Pi Pupídeos alcança seu ápice em 15 de abril de cada ano, mas os meteoros podem ser vistos entre os dias 7 e 28 de abril. Por outro lado, os Eta Aquáridas estarão visíveis entre 15 de abril e 28 de maio, sendo que o momento de maior intensidade geralmente ocorre em 5 de maio.

O Observatório Espacial Heller & Jung divulgou uma imagem que mostra uma sobreposição de 146 meteoros registrados entre 29 de março e 11 de abril, tanto da chuva Pi Pupídeos quanto dos Eta Aquáridas. Além desses, há também meteoros de cometas e asteroides não identificados. O aumento das quedas de fragmentos nesses períodos indica a proximidade das chuvas.

O professor Carlos Jung, do Observatório Espacial Heller & Jung, explica que quando os corpos celestes passam pelo Sistema Solar, podem deixar fragmentos, chamados de meteoros, que começam a orbitar em torno do Sol. Esses fragmentos podem ser de cometas, asteroides, ou até mesmo resultarem da formação do Sistema Solar ou de outras galáxias. Quando a Terra cruza com esses meteoros em sua órbita, sua gravidade os atrai, resultando em uma "chuva de meteoros". Jung destaca que durante o ano há várias chuvas de meteoros, pois vários corpos celestes deixaram fragmentos ao passar.

Publicidade

Leia Também:

A chuva Pi Pupídeos origina-se dos destroços deixados pelo cometa 26P/Grigg-Skjellerup em sua órbita ao redor do Sol. Embora não produza muitos meteoros, essa chuva se destaca pelo brilho deles, com uma média de 40 meteoros por hora durante o pico do fenômeno. Por outro lado, os Eta Aquáridas resultam dos detritos deixados pelo cometa 1P/Halley. Sendo uma das maiores chuvas de meteoros do ano, a Eta Aquáridas apresenta uma previsão de 50 meteoros por hora em 5 de maio, cada um com uma velocidade média de 66 km/s. A iluminação da Lua não deve atrapalhar a visualização dessa chuva.

Durante as chuvas de meteoros, há um ponto de origem aparente de onde parecem surgir mais meteoros, que depois se espalham por todo o céu. No caso dos Pi Pupídeos, o ponto de origem aparente é a constelação da Popa, enquanto nos Eta Aquáridas é a constelação de Aquário.

Jung menciona que se as chuvas forem intensas o suficiente no Hemisfério Sul, serão visíveis de qualquer parte do Brasil. Já no Hemisfério Norte, o fenômeno tem menor visibilidade, com menos quedas. Para observar o fenômeno, não é necessário utilizar equipamentos especiais, mas é importante ter paciência e buscar um local com pouca poluição luminosa possível.

FONTE/CRÉDITOS: Redação
Quentuchas Notícias

Publicado por:

Quentuchas Notícias

Quentuchas nasceu em 16 de janeiro de 2021, com o propósito de trazer sempre informações com qualidade, agilidade, em primeira mão de Erechim e mundo.

Saiba Mais

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!